segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008




Não, isto não é para mim...
Viver na espera dos momentos roubados
As horas que voam quando juntos estamos
E a solidão interminável da distancia.

Chega!

Decidi...
Vou dar um basta nesta angústia que corrói
Vou me unir ao brado
Dos que imploram por presença...

Vem!
Preciso que me arranque da solidão.

Um comentário:

Cris (precisotantoaproveitarvoce.zip.net) disse...

Uau!!!! Tá intensa Drª. Adorei!!!! Bjão